quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008

The Beginning of The End – A Visão Jater

WE HAVE TO GO BAAACK!!! Essas palavras ficaram ecoando em nossas cabeças por, nada mais nada menos, que nove meses! Sim, isso mesmo, mães geraram filhos enquanto nós esperávamos o retorno da nossa série preferida (e nosso ship preferido), enquanto aguardávamos a solução dos milhares de questionamentos que surgiram após a fantástica “season finale”, enquanto teorizávamos e, especialmente, nos perguntávamos: o que aconteceu com Jate no presente, e o que aconteceu no futuro?!

Após a longa, quase interminável, espera, eis que surge “The Beginning of The End”! E, sim, é com imensa satisfação que será este lindo episódio o primeiro a ser comentado por este grupo de amigas, unidas por uma motivação em comum: pessoas que acreditam no amor, que ele existe, que ele é possível mesmo em situações extremas, mesmo entre pessoas diferentes, e que não se resume em contato físico, em troca de fluídos, mas sim, em um complexo conjunto de fatores, de experiências, mudanças, tolerância e compreensão, que fazem com que o sentimento mais procurado por todos os seres humanos do planeta, o amor, possa se efetivar em toda sua plenitude!

Dessa forma, apresentamos a todos aqueles que compartilham do mesmo sentimento, o nosso cantinho, nosso GUAVA GARDEN, local reservado para comentários sobre “Jack e Kate” – Jate –, o casal da ficção que é o mais lídimo representante de que o amor não é fácil de ser percebido, ou mesmo conquistado, mas que, sim, ele existe e, quando é de verdade, resiste a tudo… e a todos!

· Parte 1 - "Are we really going home?"
A primeira cena Jater não foi novidade pra quem já tinha visto os Sneak Peaks. Aparentemente, a conversa travada entre os dois está relacionada apenas aos acontecimentos que os cerca, isto é, nada pessoal. Porém, quando Jack faz menção de que não há nada mais a ser dito e que, em seguida, vai colocar o plano em ação, Kate ensaia um sorriso e pergunta se eles estão indo mesmo pra casa.
Jack retribui o sorriso, e garante que eles estão realmente indo pra casa. Essa é a primeira cena deles sozinhos após o “Because I love you” no season finale.

É notável que os dois se sentem meio desconfortáveis, e sem jeito durante a troca de informações e olhares.


· Parte 2 – “It's our ride!”
O telefone toca e lá vem Kate correndo para ficar por dentro dos acontecimentos. Sim, ela quer muito sair da ilha, mas também quer estar ali pertinho, acompanhando os passos de Jack, fazendo parte dos planos dele, dividindo os sentimentos e...

Ops, a Naomi sumiu!
É bom o carinha do telefone não saber disso, mas como chamar a atenção de Jack em silêncio? Huuummm, toque na barriga. Muito esperta, Dona Kate.


· Parte 3 – “Be careful, ok?”
A ação de Kate em "Beginning of The End" não se resume em apenas um abraço ou um telefone roubado, o ato demonstra um grande avanço no relacionamento deles, é como se a Kate tivesse aprendido a lidar com Jack.

Apesar de sermos fãs do personagem, não vamos negar que o cara sabe ser cabeça-dura. Quando encasqueta, não tem quem faça mudar de idéia - "Daqui a seis horas estaremos sentados naquele barco, rindo, porque, no final das contas, teve uma coisa que discordamos".
Ela, no mínimo, pensou: "Pra que bater de frente com ele? Eu posso ter o telefone e de quebra ainda um abraço."

Assim como no episódio “The Moth” da primeira temporada, Jack não esperava o abraço. Ficou surpreso e confuso no início, mas notamos pela sua expressão o quanto ele se entrega ao ouvir as palavras dela ao seu ouvido. A expressão da Kate ao abraçá-lo é intensa, de carinho e preocupação. Se ela estivesse interessada apenas no telefone e não se importasse com ele, não carregaria no semblante o sentimento de culpa, se fosse apenas um “golpe”, ela não precisaria pedir para ele ter cuidado.

No momento seguinte, quando Jack vê que Kate está indo em direção à praia, ele até respira aliviado, crente que ela estará a salvo.

Melhor que o roubo, foi a reação dele quando se sentiu "passado pra trás". Alguém lembra de algumas cenas em que Kate não fez o que Jack pediu? Lembram da reação dele? Quando ela esconde a chave, quando ela vai atrás do grupo e é pega pelos Others, quando ela volta por ele. Em todas as vezes, ele se irrita e a trata mal. Até na cena da rede, quando ela faz a besteira [as jaters, não sei porque, gostam dessa besteira] de pegar a boneca, ele diz: "Então agora você me ouve?".
Dessa vez, Jack apenas deixou passar. Ou quem sabe, no íntimo, até a agradeceu. Na cena seguinte percebe-se que não há ressentimento, apenas cumplicidade.

Cumplicidade. Era isso o que tínhamos em Jate na primeira temporada e que foi perdido ao longo das outras. Era isso o que queríamos ver outra vez.


· Parte 4 – “How did this happen?”
Já no fim do episódio, quando pensávamos que não haveria mais cenas, eis que vem mais uma cena linda. Ao ver Jack parado no “cockpit”, Kate aproxima-se, ficando mais uma vez ao seu lado.

Até comentam sobre Charlie, mas Jack enfatiza que parece que faz 100 anos que eles chegaram lá JUNTOS, mostrando que por mais que eles tenham convivido por pouco tempo, tudo que viveram foi intenso, duradouro.

Depois de Jack perguntar, como isso tudo aconteceu, os dois se olham... um olhar profundo, que acelerou muitos corações, assustou muitas pessoas, e mais uma vez, foi interrompido por um fatídico elemento... “trovões altos”... Mesmo assim, isso não fez os dois deixarem de se sentir... Jack, ao constatar que o barulho não era apenas “trovões altos”, chama Kate para conferir o que é, TOCANDO nela, mostrando a necessidade que tem de ficar perto dela...

Isso é Jate! Ter o que compartilhar, o que buscar um no outro, momentos que só os dois sabem. Esses momentos, seja no meio da chuva e do desespero, são lembrados para nos fazer lembrar o que já passaram juntos.

Concluindo, podemos resumir o “início do fim” como o “retorno de Jate” para a série. O retorno da cumplicidade, do companheirismo, do apoio, da troca de sentimentos, de cuidados e preocupações, enfim, o “retorno” de sentimentos que haviam sido “camuflados”, mas que sempre estiveram lá, aguardando a primeira oportunidade para se fazerem presentes, mais uma vez...

Mesmo diante das mais diversas situações vivenciadas pelas personagens no decorrer da 3ª temporada, em momento algum JATE deixou de existir! E isso ficou claro, por diversas vezes, no decorrer dos 24 episódios que antecederam esse “retorno”.

O que esperar dessa 4ª temporada?

Bem, espera-se que esse “início” continue nesse mesmo ritmo, esperamos ter a verdadeira Kate de volta (e acho que ela está a caminho?!), esperamos que esse Jack que nos foi apresentado - um tanto mais frio que o de costume –, também seja mais objetivo com relação aos seus sentimentos (e acho que isso já começou: “Because I love you!" Lembram?), e ainda, que todas as “experiências” vividas por ambos sirvam para afastar as incertezas, as dúvidas, e os medos... Enfim, esperamos que esses dois façam o favor de parar de correr e de se esconder daquilo que sentem, ou seja, esperamos que Jate se concretize, porque acontecer, já aconteceu! Só não viu quem não prestou atenção no episódio Piloto!

Que venham os outros episódios porque a história continua!

Créditos: Foto promocional ABC.com;
Lost-media.com e seige do lost-forum;

4 comentários:

Mrs. Scofield disse...

LINDOS!!! Eh incrivel como em cada cena Jate da pra notar toda a afinidade nas pequenas coisas, uma maneira soh deles de se entenderem...tenho certeza q essa temporada vai trazer mta coisa boa pra gente!

GO TEAM JATE! :D

Mrs. Weasley disse...

TEAM JATE IS BACK! UHUUUUUUUU!
Ai, eu adoro vê-los trabalhando juntos! Me lembra a perfeita 1ª temporada... Eu tava com uma saudades de ver cenas assim! Tô feliz! Sinto cheio jate espalhado no ar dessa nova temporada! :-)

ana paula disse...

Me emocionei agora, fui às lágrimas! Só Jate p fazer isso comigo, e o texto de vocês trazendo toda essa beleza que eles possuem!

Muito bom meninas! Esse casal entra p a história dos ships! O mais lindo de todos, com certeza!

Lilica disse...

É como eu disse:

Jack e Kate funcionam muito mais como parceiros de aventura do que Kate e Sawyer funcionam como casal!

Beijinhos!